Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Joana

um mundo cheio de histórias para contar

Joana

um mundo cheio de histórias para contar

01
Mar17

Joana on the green path: going veggie

Joana Santos
Há mais de um mês que ando a pensar em iniciar a minha rubrica Joana on the green path, mas decidi que não havia melhor ideia do que esperar até ao mês de Março. Afinal de contas, este é o mês em que voltamos a encher-nos de cores: começa a Primavera, os dias ficam mais longos, o sol brilha e as árvores vestem-se de flores. A energia pesada do Inverno começa a dar espaço aos sorrisos leves que crescem com o calor e, por isso, Março é, assim, o mês perfeito para vos levar neste meu caminho por uma vida mais verde. Desde que me inciei no mundo do yoga que, por acompanhar de perto muitos outros exemplos, estudar e ler muito, fui também alterando outros aspectos da minha vida. A prática de yoga deixou de ser algo puramente físico e levou-me numa descoberta sobre as mil e uma maneiras de tornar este mundo um lugar mais feliz, transpondo as maravilhosas mudanças que acontecem dentro de mim para o exterior. Porque me sinto bem e feliz tenho também vontade de fazer o bem. Com pequenos passos, como usar produtos naturais para limpar a minha casa ou deixar de utilizar sacos de plástico para colocar as compras do supermercado, sei que posso contribuir para um mundo mais verde e, consequentemente, para um maior bem-estar de todos nós que aqui habitamos. Esta nova rubrica é a minha forma de vos contar mais sobre este meu percurso de aprendizagem constante e de criar, aqui no On Being Joana, um espaço em que todos nós podemos partilhar informações interessantes e úteis sobre uma vida mais ecológica. Parece-vos bem?



Joana Goes Veggie - A Journey

Para começar este meu caminho, decidi contar-vos a minha experiência pelo mundo do vegetarianismo. Na verdade, já tinha tentado deixar a carne por completo quando vim morar para Londres, porque aqui há mil e uma opções vegetarianas em qualquer restaurante e a carne, digam o que disserem, não é assim tão boa. Mas a experiência correu um bocadinho mal. Foi demasiada alteração ao mesmo tempo: um país mais frio, menos sol, sem família e vegetariana de um dia para o outro? O meu corpo entrou em colapso. Tinha quebras de tensão todas as manhãs e andava mais do que cansada: estava completamente exausta. Na altura, vivia com uma senhora que é piscetariana (ou seja, come peixe mas não come carne) e ela aconselhou-me a recuperar primeiro e a ambientar-me a esta cidade e a todas as alterações que a minha vida estava a sofrer e ler bastante sobre o tema e só depois, com consciência e calma, fazer as alterações que pretendia. Foi exactamente isso que fiz: primeiro, deixei a carne vermelha e enchi o meu prato de verduras. Continuei durante um ano a consumir carne branca e peixe. No início de 2017 senti-me preparada para tal e deixei de comer carne por completo. Neste momento, só como peixe. Já passaram dois meses desde esta grande mudança e, até agora, nunca me senti mal nem exausta nem tão pouco tive quebras de tensão. Sinto-me bem e, sobretudo, sinto-me feliz com a minha decisão. Ouço muito o meu corpo e deixar de comer carne foi uma consequência disso mesmo. Sinto-me melhor quando como alimentos de cores vivas e de sabores fortes que estimulam todos os meus sentidos. A carne, obviamente, não entra nesse grupo de alimentos. Sentir-me tão bem ao comer alimentos tão ricos e cheios da maravilhosa essência da Mãe Natureza fez-me compreender que esse é o caminho a seguir: sem justificações e grandes questões. Respirando. Respeitando o meu corpo. Porque tudo é um caminho. E porque esse caminho é para ser feito apreciando todos os seus altos e baixos. Com calma. Sei que, aos poucos e poucos, vou descobrindo cada vez mais alternativas saudáveis para este meu novo estilo de vida: porque, ao contrário do que se pensa, ser vegetariano nem sempre é ser mais saudável (sim, envolve grandes quantidades de hidratos de carbono!). E sei que, a pouco e pouco, vou ouvindo cada vez mais aquilo que o meu interior me conta. Por onde ir a seguir? Que melhorias fazer para estar mais perto da minha essência? O tempo responder-me-á. O importante é que tudo seja feito com equilíbrio, porque é equilíbio que quero para a minha vida.


Quem é que, por aqui, também faz dos legumes os seus melhores amigos? Quais são as vossas receitas preferidas? Quais os alimentos que não dispensam no vosso dia-a-dia? Quero ouvir a vossa experiência e partilhar aprendizagens e ensinamentos. Contem-me tudo!

Com amor, 
Joana

5 comentários

Comentar post

Sigam-me

Mais sobre mim

foto do autor

INSTAGRAM

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.