Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Joana

um mundo cheio de histórias para contar

Joana

um mundo cheio de histórias para contar

09
Out16

Shoshin

Joana Santos
Começos. Adoro começos. Deixam-me motivada. Dão asas à minha criatividade. Fazem-me procurar mais dentro de mim própria aquilo que me deixa realmente feliz. Por essa razão, costumo dizer que a minha vida é um eterno começo. Sou uma pessoa cuja mente gosta de estar ao nível da mente de um principiante.
Shoshin — um conceito explorado pelo budismo zen — diz respeito a esta mente de principiante ou, em inglês, begginer's mind. Diz Shunryu Suzuky que "In the beginner's mind there are many possibilities, in the expert's mind there are few.".  E este tornou-se um dos pensamentos a ter sempre em conta na minha vida.
Gosto de começar de novo. Gosto de explorar coisas pouco exploradas. Gosto de estar aberta a estas infinitas possibilidades que a vida me traz. E, por isso, escrever aqui vai servir exactamente para me lembrar disso: de que há sempre um sítio para onde ir aprender mais e sair daquela que é a nossa zona de conforto. E onde é que ela fica? Na nossa mente que já sabe, que já conhece, aquela que nos impede de aprendermos e de descobrirmos mais porque começamos a usar a célebre frase: eu já sei isto. E acostumamo-nos. Entramos na rotina que já conhecemos.
E eu não quero essa rotina. Quero, dando um passo de cada vez, cair e levantar-me. Dizer que não sei. Seguir os meus instintos. Explorar. Viver os momentos ao máximo. Sair da minha zona de conforto. Experimentar mil e uma possibilidades de viver esta vida. Sem medo de falhar, mas sabendo que isso vai acontecer. Questionar, sem esperar respostas. Ser eu — sem artifícios. Ser crua. Ser zen.

Com amor,
Joana


2 comentários

Comentar post

Sigam-me

Mais sobre mim

foto do autor

INSTAGRAM

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.