Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Joana

um mundo cheio de histórias para contar

Joana

um mundo cheio de histórias para contar

20
Out16

Vamos enviar cartas?

Joana Santos
Não sei bem há quanto tempo conheço a Mariana. Sei que comecei a ler o blogue dela e, a pouco e pouco, fomos tornando aquilo que começou por ser uma amizade virtual num amor pessoal. A Mariana é daquelas pessoas de que é fácil gostar: dentro do coração dela cabe o mundo inteiro. Ela sabe como fazer alguém sorrir e fá-lo sem esforço, sem manhas, sem pedir nada em troca. É genuína. E eu gosto mesmo muito dela. 
Já tive oportunidade de a conhecer e, desde então, sinto que levo sempre a Mariana comigo. E sinto que estou sempre no coração da Mariana, juntamente com todas as outras pessoas bonitas a quem ela se dá. 
A Mariana - para além do talento de fazer pessoas felizes - sabe como tornar o mundo num lugar bem pequenino, sabe como ligar sorrisos uns aos outros e como fazer chegar amor aos quatro cantos do planeta. Grande parte das pessoas inspiradoras que conheço - virtual ou pessoalmente - chegaram até mim através da Mariana. Como?, perguntam vocês. Pois bem, a Mariana é apaixonada por chá e por cartas. É uma das formas que ela encontra de ter sempre o seu coração quentinho. E, como chá e cartas andam sempre de mãos dadas, a Mariana, provavelmente num dia em que uma chávena lhe deu mais inspiração, decidiu criar o Projecto Cartas Cruzadas
Inicialmente, a Mariana pediu ao mundo que, se quisesse receber uma carta dela, a avisasse. E o mundo respondeu-lhe. A Mariana enviou cartas para muitas casas, para Portugal e para fora das nossas fronteiras. Enviou cartas para miúdos e graúdos. Enviou cartas que fizeram nascer sorrisos e até cair lágrimas. 
E, em troca, a Mariana recebeu muitas respostas. Por dar amor, recebeu ainda mais amor. E as cartas foram crescendo. O Projecto desenvolveu-se, ganhou novos contornos e, hoje, há uma comunidade de troca de cartas. Tanto que o número das cartas enviadas em Portugal este ano até subiu. Não acreditam? Vejam aqui
Eu fui apanhada nesta corrente das cartas. Por um lado influenciada pela Mariana, por outro culpa da distância a que estou da família e amigos. 


A Mariana e eu trocamos cartas desde a altura em que eu ainda estava em Portugal, mas, em Londres, habituei-me também a enviar pequenos postais à minha mãe, avó e amigas sempre que vou a algum lugar diferente. Para além disso, e devido à oferta gigantesca que há aqui, ganhei o vício de enviar postais em alturas como aniversários e outras ocasiões especiais. 
Recentemente, juntei à minha lista mais três meninas com quem trocar cartas (graças à Mariana, claro). E, no meio disto tudo, ainda há as cartas que envio graças às trocas de chás que faço com o grupo Xícara de Chá (também culpa da Mariana). 


A febre das cartas já é tão grande (a juntar à vontade recém-descoberta que tenho de pegar em tesouras, tubos de cola e lápis de cor) que ando por Londres à procura de um daqueles kits de cartas que têm envelopes, papéis às cores,  carimbos, selos engraçados... (Sabem onde se compra?)
Com toda a tecnologia de hoje em dia, é difícil lembrarmo-nos de que aprendemos a escrever, a desenhar uma caligrafia bonita no papel. Acredito que a tecnologia é aquilo que fizermos dela e que, se a usarmos para o bem, estaremos e faremos o bem também. Mas, ao mesmo tempo, defendo que, numa época em que toda a comunicação se faz de uma maneira muito específica, sabe bem ser diferente, sair da rotina e da zona de conforto. Sermos nós, numa folha de papel. 
Numa altura em que os sorrisos chegam através de likes e comentários e emojis e conversas no Whatsapp, sabe bem entregar miminhos que vêm em envelopes que percorrem quilómetros e passam por tantas mãos diferentes. Envelopes que trazem letras que se compõem em frases que se dirigem ao nosso coração. Que falam connosco mais do que qualquer conversa imediata que tenhamos tido virtualmente.
Eu vou continuar a trocar cartas. E vocês, quando começam?
Obrigada a todas aquelas que têm feito chegar até mim miminhos em forma de palavras desenhadas à mão. E obrigada à Mariana por ter estas ideias tão bonitas. 

Com amor,
Joana






11 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Sigam-me

Mais sobre mim

foto do autor

INSTAGRAM

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.